Hip Hop Angola | Hip Hop Moçambique

Serviços: Design Gráfico | Motion Design | Jornalismo Cultural (Hip Hop) | Publicidade contacto: [email protected]

Category Outras Notícias

Bang uma historia de musica
Clé é a mais nova accionista de uma das maiores agências de entretenimento de Portugal

Clé e BackRoom um passo grande para música

Clé e BackRoom dois nomes que passam a um só propósito, elevar a musica a outra dimensão.

Ao tornar-se acionista da BackRoom uma das maiores agências de entretenimento de Portugal, a angolana Clé Entertainment dá um grande passo para a sua internacionalização.

De acordo a nota de imprensa o objectivo é expandir e investir cada vez mais na cultura nacional e promove-la a nível internacional.

Clé e BackRoom: Saí a ganhar a música angolana

A música angolana em particular a dos artistas da Clé passam a ter uma porta aberta para a sua internacionalização no mercado europeu e outros.

Desta forma sai a ganhar a música angolana que a muito procura oportunidades como essa para exportar ao mais alto nível a cultura nacional.

Nenny, Wet Bed Gang, Charlie Beats no catalogo

Fazem parte do catálogo de agenciados da BackRoom nomes como a Wet Bed Gang, Julinho KSD, Nenny, Ana Malhoa e o grande produtor Charlie Beats.

A olhar para o talento destes artistas, o posicionamento no mercado e a equipa de trabalho é com certeza um grande investimento, feito pela Clé.

#cle2021

Miguel Neto

Club K denuncia RC de Miguel Neto

O Club K denunciou o tratamento negativo dado a artistas angolanos no programa RC de Miguel Neto, num texto publicado a 30 de Agosto, assinado por Cristiano António.

No ar a 27 anos, o RC é um programa radiofónico de variedades suportados por um tripé formado por música, entretenimento e informação, apresentado por Miguel Neto aos domingos na LAC.

A julgar pelo que é emitido, o programa foca na actualidade e estrelas da musica americana com uma abordagem que se estende a reportagens periódicas e vidas e obras de astros como são os casos de Michael Jackson, 2Pac, Whitney Houston e etc.

Embora seja este o propósito do programa, o que, de facto, agrega algum valor informativo aos ouvintes,  o mesmo tratamento não é dado aos artistas angolanos. 

Ao longo dos anos que temos vindo a acompanhar Miguel Neto no RC sobretudo nos últimos 10 anos, é factual que os artistas angolanos são referenciados apenas quando se trata de assuntos negativos como acontece em rubricas como o plagiomoto e outros na mesma natureza e susceptíveis de uma interpretação intencional de prejudicar as suas carreiras.

Música angolana no RC só na condição de plágio.

É difícil dizer que não passa músicas e notícias de artistas angolanos no programa do Miguel Neto, mas a verdade é que estes só são ouvidos na condição de réus no plagiotomo, onde o tratamento é feito de forma persuasiva e com uma abordagem que foge do seu contexto.

Como se de um tribunal se tratasse, os artistas são convocados no ar e de forma deselegante para que num prazo determinado por Miguel Neto possam ir ao programa justificar um assunto polémico ou responder se as suas músicas são ou não plágios.

O que é raro ouvir no RC são entrevistas onde os artistas angolanos são convidados a falar das suas carreiras ou promovam as suas musicas, nenhum cantor angolano tem a mesma sorte que o rapper americano Busta Rhymes que goza da simpatia da equipa do programa. 

Exagero a parte, não seria absurdo dizer que ao longo da existência do programa, a música de Busta Rhymes é a mais tocada no programa, para se ter uma ideia concreta, o rapper nunca perde lugar no top 5 do RC (Top Platina), tudo isso porque M.N. é fã.

PLAGIOMOTO NASCEU DE UMA VINGANÇA A ARMY SQUAD 

Por se terem negado a subir ao palco  (por falta do pagamento completo) enquanto decorria a primeira edição do Festival RC, a 30 de Janeiro de 2005, um show que visava homenagear a produtora Army Music pelo seu contributo no crescimento do estilo musical rap no mercado nacional, em particular na descoberta de novos valores, a exemplo de Gomez, Leia aqui Miguel Neto, como vingança, declarou guerra a Army Squad criando a rubrica plagiomoto que na verdade passou desde então a ser sua arma.

Pra sustentar a rubrica, o plagiomoto começou a denunciar “plágios” de outros grupos de igual modo, e foi por essa via que os Kalibrados passaram a ter problemas com Miguel Neto, a situação agravou-se quando  na música “Quem Manda no Teu Block” os Kalys reagiram com ofensa a MN.

Recentemente, em uma entrevista ao ZapNews, Miguel Neto afirmou que tem noção que pode ter prejudicado a carreira de alguém devido às suas acusações no seu programa de rádio, porém, diz tratar-se de uma acção pedagógica, comum em várias partes do mundo, cuja finalidade é esclarecer o público.

A pergunta que se impõe agora porquê o tratamento desigual?

Porquê não exercer o seu dom em prol da boa divulgação da música angolana?

Fonte: www.club-k.net

Boss Ac – Fica em Casa (Covid-19)

Boss AC – Fica em casa | Face a situação que o mundo vive em consequência do novo Corona Virus (Covid-19), Boss Ac fez um remix da música Tu és mais forte apelando a todos que vivem em casa.

Recordar que Portugal regista acima de 1000 casos de pessoas infectadas pelo Covid-19 e registam tal como Angola um período de isolamento social para uns e quarentena para pessoas que registam alguns dos sintomas desta epidemia.

Clique Play no video abaixo e não esqueçam fiquem em casa por favor.

Outras publicações sobre Boss AC.

C4 MELHOR DE ÁFRICA

C4 PEDRO – A MAIS LINDA DE TODAS (VIDEO)

A Mais Linda de Todas é o mais recentemente videoclipe do C4 Pedro, o seu estilo de cantar é único e inconfundível, nesta música C4 surpreendeu-me pela positiva, boa sonoridade, videoclipe com um conceito perfeito e o resultado é claro, muito bom.

Assista e faça download da versão em mp3 – DOWNLOAD