Hip Hop Angola | Hip Hop Moçambique

Serviços: Design Gráfico | Motion Design | Jornalismo Cultural (Hip Hop) | Publicidade contacto: [email protected]

Duas Caras e Kloro

Duas Caras e Kloro coisas de tradição

Extraído do álbum Djundava, Duas Caras e Kloro brindam os fãs com o videoclipe do tema Coisas de Tradição.

Djundava é o primeiro álbum a solo do rapper moçambicano Duas Caras lançado em finais de 2020 e que se encontra disponível em Angola no aplicativo Kisom <———–clique para escutar).

Assim como Kara Boss, Kloro, outro grande rapper das terras de Samora Machel também está com álbum novo. Revolução Cultural lançado igualmente em finais do ano de 2020, é o segundo álbum deste pé da Trio Fam, contam 12 faixas e as participações de EllputoHot BlazeJustino Ubakka, Walter Nascimento ‘Teknik”, Regina dos Santos ”GrandMah” e outros. ESCUTE AQUI.

Quanto ao trabalho colaborativo de Duas Caras e Kloro, definitivamente estes pilares do rap moz trouxeram um produto ao nível da sua maturidade artistica.

Veja o video no bloco a seguir e deixe o seu comentário.

A QUASE MORTE DO KAUS O MOZCOPATA, SAIBA O QUE REALMENTE ACONTECEU AO ARTISTA (ENTREVISTA E MUSICAS)



Com o lançamento da Mixtape de Volta as Raízes Vol. 1, Kaus o ex-integrante dos Trio Fam, levou a público um desabafo a que chamou “A quase morte do Kaus”, (para quem baixou as músicas promocionais, ou comprou a mixtape pode encontrar na pasta bacela), onde fala de forma resumida sobre a má fase que viveu.


Para percebermos melhor o que realmente se passou, já que aos nossos ouvidos e com certeza que no de muitos dos nossos leitores também as coisas não ficaram devidamente claras, nos baseamos no desabafo e entrevistamos o Kaus o Mozcopata para falarmos um pouco sobre este assunto e sobre um possível regresso a Trio Fam, uma coisa podemos adiantar-vos a resposta é animadora.

Para quem ainda não adquiriu a Mixtape de volta as raízes pode adquiri-la via #Whatsapp: +258872091982 ou #Email: [email protected], mas as musicais promocionais, podem ser baixadas gratuitamente no fim desta publicação.

DINO CROSS: Tu falas muito de uma certa verdade, que acabaste não falando, que verdade é essa? O que pretendes dizer afinal?
Kaus: Não pretendo dizer. Eu queria apenas chamar a atenção dos que eu sentia que me haviam abandonado. Mas não cabe a mim julgar as pessoas. Eu deixo isso nas mãos de Deus. Eu não sou perfeito.  Quem sou eu para apontar dedos? Mas sinto que houve muita injustiça na maneira que a minha má fase foi gerida pelos meus

DC: Quem tu sentiste que te abandonou, e em que altura da tua vida isso aconteceu?
Kaus: Alguns amigos, pessoas e familiares… Há muita coisa sobre a minha pessoa que muitos não conhecem sou figura pública sim. Mas antes disso sou apenas um ser humano

DC: Tua má fase traduzida para se compreender como foi exactamente?
Kaus: Sei que muitos relacionam a minha má fase, apenas com os meus ex colegas e para sempre amigos: Trio Fam, foi muito mais profunda que isso.

DC: Falaste em Trio Fam, a tua má fase tem alguma ligação com algum acto dos teus amigos?
Kaus:
A minha saída da #TrioFam e da #Mukheru foi apenas um terço do problema

DC: Escolheste ficar no lado dos bons, quem são os bons e os maus?
Kaus: Eu nunca vou mencionar nomes… Não faz o meu estilo. Como havia dito, era uma chamada de atenção apenas

DC: Arrependeste de a ter feito?
Kaus: Não quero construir uma nova carreira com base em problemas e decepções, sou rapper e aprendi que #rap é sinônimo de #verdade, eu apenas expresso a minha verdade nas minhas intervenções musicais.

DC: Perdeste tudo, o que perdeste na pratica?
Kaus: Amigos, emprego, dinheiro, afeto dos que eu era capaz de por a mão no fogo por eles e em alguns momentos, a minha saúde, também fui assaltado, sou informático, roubaram quase toda minha informação pessoal, projetos e etc, já deves imaginar como foi recuperar dessa perda enfim, duvido que um gatuno fosse querer roubar o meu bloco de notas Ou melhor Os meus blocos de notas

DC: Falando em roubo, numa das tuas musicas dropaste “Mukheru que não rouba nem aldraba” Porque usaste essa linha na musica, houve alguma situação de rouba na tua sociedade MUKHERU STUDIO?
Kaus: Que eu saiba, fomos roubados na sociedade que era constituída por três elementos, tecnicamente fomos roubados, do que eu sei e que é facto…  O que foi o Diretor Geral confessou que havia cometido várias irregularidades na gestão da empresa. Isso na presença do terceiro sócio e o mesmo não achou que isso fosse motivo suficiente para ele se retirar da empresa, visto que eram dois que dividiam da mesma opinião… Eu decidi sair.

DC: E uma das conseqüência disso foi a sua saída do grupo?
Kaus: Sim

DC: Abalou a amizade?
Kaus: Sem duvidas. Tenho dois filhos, eles são a minha vida, é com a música e a cultura que eu decidi alimentar lhes… Decidi viver a minha vida Longe de expectativas.

DC: Vamos falar um  pouco sobre maluquice: disseste que tu és o terceiro tipo de maluco. Em alguma altura foste dado como maluco?
Kaus: Quando não se faz o que a maioria faria numa dada situação a pessoa é geralmente dada por maluca, e foi o que aconteceu comigo,  Nb:Na minha opinião, muitos dão mais valor a bens materiais do que a valores humanos, Eu abri mão dos bens materiais e de viver de aparências…
Atenção: Gosto de bens materiais, e sei que terei isso novamente, mas não é fácil recuperar valores humanos perdidos, estou a trabalhar arduamente… Sei, é só uma questão de tempo para voltar a ter em dobro tudo que me roubaram. Agora… Lealdade e Confiança não tem preço.

DC: Em alguma altura te achaste estares maluco?
Kaus: nunca… Achei sim que me estivessem a fazer de maluco. Nb: eu cometi muitos erros na má fase da minha vida, erros esses que ainda estou a pagar por eles, mas nada que, na minha opinião justificasse a maneira com que fui tratado.

DC: A má fase foi estares doente. O que originou esse teu mal estar?
Kaus: Lamento te informar que não é possível apontar apenas um aspecto como a causa dos meus problemas, foi um efeito dominó.

DC: Nada a ver com drogas?
Kaus: Hehehe, contra factos não há argumentos. Que eu saiba não me foi apresentado nenhum facto que sugerisse que eu estivesse envolvido em consumo de drogas, apenas boatos, não acho que me devo justificar de algo sem fundamento, só porque alguém achou que devesse apimentar a minha história.

DC: Não fases nem fizeste uso de drogas?
Kaus: Mas não vou responder a uma pergunta sem fundamento. Diga me algo, sem emprego, sem amigos e sem dinheiro… Qual é a primeira impressão? Eu trabalhei duro durante vários anos da minha vida, é para mim um insulto acharem que durante esses anos todos andei a juntar dinheiro para gastar com drogas.

DC: Passado alguns meses como está a sua amizade com os teus ex-sócios da Mukheru e teus amigos da Trio Fam?
Kaus: Cordial, desejo lhes muita sorte em suas novas associações e negócios..

DC: Tem alguma coisa que fizeste na vida que te tenhas arrependido?
Se tivesses que pedir desculpas a alguém a quem o fazias?
Kaus: Na vida, muitas coisas. Se tivesse que pedir desculpas pediria ao meu irmão… Ele não esteve diretamente ligado aos meus problemas mas acredito que que foi um dos que mais sofreu com tudo isto. Devo lhe muito… Ele viu a minha verdade nua e crua e como irmão mais velho acredito que não lhe passei os melhores exemplos na minha má fase, muito pelo contrário, foi ele quem me passou exemplos de vida, sou muito grato por lhe ter em minha vida, o amo bastante

DC: De quem esperas pedido de desculpas?
Kaus: Ninguém

DC: Complete a frase: minha a vida seria mais justa se…
Kaus: A minha vida é justa. Estou a colher o que plantei. Não como eu esperava mas estou a colher o que há 17 anos plantei no hip hop, #RapMoze em particular.

DC: Um possível regresso a Trio Fam é um assunto em aberto ou o que podes dizer acerca?
Kaus: Trio Fam faz parte do meu ADN

DC: Então sempre se pode sonhar com uma regresso do Kaus:?
Kaus: Só Deus é quem sabe. Eu só não quero mais nenhuma relação do negócio com nenhum deles.

DC: Há alguma coisa que gostarias de dizer que não foi dito no teu desabafo nem nesta entrevista?

Kaus: Apenas fazer lembrar a quem está a ler esta entrevista que o que não nos mata só nos torna mais forte. Aprendi muito, com esta experiência, e tenho muita fé que melhores dias virão.

DOWNLOAD
Músicas promocionais – LINK 2

KAUS O MOZCOPATA – DE VOLTA AS RAIZES (DOWNLOAD)


De volta as raizes é o primeiro rebento do KAUS depois de sair da Trio Fam, na tentativa de afirmar-se na carreira a solo. Este blog faz votos de êxitos nessa nova fase do artista. 
Faça download das músicas nos seguintes link:

TrioFam - A Caminho Do Txova

Trio Fam – A Caminho do Txova – Free Download

A espera acabou, oficialmente a Trio Fam está de volta, “A caminho do Txova” é a mixtape que lhe dará um cheirinho do que poderá vir a ser o álbum deste grupo que escreveu o seu nome não no passeio da fama, mas sim na história do hip hop moçambicano, e que deverá ser lançado em meados de 2012.

Depois de alguns anos de ausência o grupo reaparece mais maduro, mas sempre com a mesma identidade, a paixão pela música, entre tantas paixões uma música teve maior entrega do grupo, foi feita mesmo do coração, a faixa número nove “Tu és tão linda” é dedicada a filha do Kloro, portanto sobrinha dos demais membros do grupo.

É portanto uma mixtape bem a maneira da Trio Fam. O videoclipe de promoção também já saiu, mas este teve exclusividade no programa Atracções da Miramar, logo depois de chegar ao Youtube estará igualmente disponível aqui no seu blog.

Portanto faça agora mesmo o download desta mixtape que definitivamente é das melhores do hip hop moz e não esqueça de deixar o seu comentário.

TRIO FAM – A CAMINHO DO TXOVA – MIXTAPE

01. INTRO

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU

PRODUÇÃO: ORIGIMOZ

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

02. MUKHERU

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU, A. LANGA

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: K9 & ZIQO

PRODUÇÃO: ELL PUTO

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

03. MAESTRO

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU, S. SILVA

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: HOT BOY

PRODUÇÃO: KRAZZY BEATS

GUITARRA: ACE NELLS

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

04 – Musica

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU, HERMINIO

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: HERMÍNIO

PRODUÇÃO: ELL PUTO

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

05. DRAMA DO EX

LETRA D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU, T. TRUZÃO

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: JÚLIA DUARTE

PRODUÇÃO: ORIGIMOZ

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER
06. MÃOS NA CABEÇA

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU, E. LUZ, I. SIMÕES, H. CHISSANO

CORO: KAUS

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: DUAS CARAS, AZAGAIA & VUI VUI

PRODUÇÃO: SNOWMAN

MISTURA: BEAT KEEPA

MASTER: DJ CROSSFADER

07. TENTAR

LETRA: N. ZAQUEU

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: CARMEN

PRODUÇÃO: ELL PUTO

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

08. VOU-TE ENCONTRAR

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU

GUITARRA: ACE NELLS

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

09. TU ÉS TÃO LINDA

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU, T. TRUZÃO

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: HOT BLAZE & HAWAIIYU

PRODUÇÃO: KRAZZY BEATS

MISTURA & MASTER: DJ CROSSFADER

*RECRIAÇÃO DA MÚSICA “ISN’T SHE LOVELY” DE STEVE WONDER

10. RESPEITO MÚTUO

LETRA: D. MALELE, H. BIACUANE, N. ZAQUEU

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: HAWAIIYU

PRODUÇÃO: SNOWMAN

MISTURA: BEAT KEEPA

MASTER: DJ CROSSFADER

*CONTÊM EXTRACTOS DE UM DISCURSO DE SAMORA MACHEL

11. RANDZA

LETRA: D. MALELE, H. SITOE, N. ZAQUEU

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: NOÉMIA & ÉRICA ZAIDA

PRODUÇÃO: ELL PUTO

MISTURA: BEAT KEEPA

MASTER: DJ CROSSFADER12. TU PODES VOAR

FREE DOWNLOAD

Mediafire – DOWNLOAD HULKSHARE – DOWNLOAD

A CAMINHO DO TXOVA


A Mukheru Music lança esta sexta-feira dia 02 de Dezembro neste blog em exclusivo e nos principais blogs de Hip-Hop na internet a versão On-line da Mixtape (Free Music) do grupo Trio Fam, intitulada “A caminho do Txova”. Contendo 14 faixas musicais, a compilação reúne alguns nomes já consagrados da nossa praça, tais como Duas Caras, Azagaia, Júlia Duarte, Ziqo, Hernani da Silva, Rainha da Sucata, Iveth, entre outros grandes artistas, e como convidado internacional o artista Vui Vui do grupo de rap angolano os Kalibrados.

Definindo Mixtape como uma compililação de músicas não oficiais e editadas de forma independente, este projecto tem como objectivo alimentar os fans e simpatizantes do grupo no periodo que vai desde a produção, gravação e edição do album, bem como elucidar e reavivar os fans e simpatizantes sobre o que deverá vir no álbum a ser lançado em meados de 2012. O grupo pretende também lançar uma versão em forma de disco físico da mixtape que deverá acontecer num show a realizar-se em meados de Janeiro de 2012 (local e data a anunciar).

Por isso esta sexta feira vamos matar todas as saudades dum dos grupos pioneiros dos hip hop mocambicano e mais populares.

NOTICIA: Trio Fam de volta a casa

Vai ser difícil considerar 2010 como o ano da marrabento como almeja Stewart Sukuma, depois da gprO, agora nesta altura não deve ser novidade para ninguém o regresso a actividade da Trio Fam, pelo menos para o pessoal de Moçambique, para o pessoal em Angola a informação é que a Trio Fam ressurge agora com o rotulo da Mukheru Music, faz já um tempo que estão desvinculado da Track Records, um rompimento amigável, sem beef’s e com a mesma cumplicidade.
Surge agora a Mukheru Music que é uma label que trás como rosto ou porta-voz, o também antigo membro da Track Records e um dos fundadores da 1st Class, Sagaz, que afastou-se dos palcos mais não da vida musical e tenta agora dar todo o seu saber como promotor.
Trio Fam é primeiro grupo da label e está para breve a estreia do primeiro video da label, o teaser já brilha na Stv (televisão privada de Moçambique) e em alguns blogs, em breve e com a devida autorização o video estará disponível aqui no seu blog.
Já conhecemos os hits da Trio Fam e esperamos divulgar o mais rápido possível o seu disco, é de certeza o regresso mais esperado do momento.

O Sopro da vida (reacção ao último suspiro)

De acordo com a resolução da sexta reunião anual da track records, Beatkeepa deu a conhecer pondo a circular na internet o e-mail “O último suspiro”, apontando assim o encerramento da label Track Records, constituida : BeatKeepa, Trio Fam, Elex, Nelson Nhachungue, First Class, The Dream, A2, Johnny, Amélia Conceição e Dj Junior. 
Atendendo a gravidade que é o assunto, tive a liberdade de escrever uma carta aberta para a Track Records e para toda a comunidade hip hop, e a publico mais abaixo e na primeira pessoa. Por favor a vossa atenção.
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

VAMOS TCHOVAR ESSA CENA 


carta aberta para a TRACK RECORDS e a toda comunidade hip hop

Luanda, 04 de Novembro de 2008

Assunto: O sopro da vida (reacção ao “último suspiro”).

Deixa dizer que não recebi com agrado, o e-mail que anunciava o fim da Track Records, embora que todas as razões tenham fundamento lógico, é importante salientar e elucidar-vos que da mesma maneira que o graffite, o dj, o b-boy e o rap são elementos da cultura hip hop, a Track Records é um elemento fundamental para o hip hop moçambicano.
É bem verdade que precisamos todos de oxigénio para respirar, mas também não se decreta o último suspiro, quando se pode apelar por socorro. Normalmente como humanos, somos muitos teóricos e que podemos achar solução para tudo ignorando por completo a constatação da realidade.
E a realidade nesta altura é um monopólio versus falta de patrocínio, ao falar-se em patrocínio não é afirmar directamente que a “TRACK” só pode andar com muletas de quem pode ajudar, mas é necessário ou melhor é indispensável uma estrada quando se pretende caminhar, ninguém consegue andar durante muito tempo na lama, ninguém consegue nadar ou remar contra a maré, para ser mais prático, sustentar uma label e alimentar o mercado com video clipes com qualidade não só para fazer face a concorrência, mas também para poder melhor mostrar o seu trabalho colocando-o ao nível exigido pelo mercado, requer um certo investimento que possibilitará gerar frutos com os grandes espectáculos realizados a nível nacional.
Deveria te-lo feito no princípio, mas apresento-me dando o meu testemunho, sou um jornalista e activista hip hop, angolano, varias vezes desloquei-me a maputo para fazer reportagens sobre o hip hop moçambicano, para publicar na internet, com o objectivo de dar-se a conhecer o hip hop moz em Angola, como se sabe ninguem paga para entrar nos sites e nos blogs, um grupo de 4 elementos que são o team www.hipflickz.net por amor ao hip hop não viu caro estas despesas, para hoje como salário moral termos conseguido espalhar o hip hop moz dentro da comunidade hip hop angolano. Reconhecemos o nível que tem o hip hop moçambicano e incansavelmente temos feito esforço para partilhar com todos. Graças a Internet hoje expandimos o nosso trabalho alem fronteiras. 
É em nome do amor que temos ao hip hop que pergunto a todos: A vida anda como um carro e quando um carro não pega diz-me o quê que fazes? Tchova, Tchova xita duma!!!, então meus manos mc´s, B-boy, DJ´s, graffiwriters, patrocínadores, donos das molas, dos tacos, radialistas, público de um modo geral, VAMOS TCHOVAR ESSA CENA. Vamos dar as mão e não vamos deixar o hip hop morrer, vamos fazer do último suspiro a estratégia para 2009, há quem pense que isso é uma jogada de marketing, se fosse isso, ainda assim estaria estampada uma realidade que não é só desta label, mas também de todas outras dedicadas ao hip hop, perguntem ao pessoal da cotonete records, perguntem a Gpro, perguntem ao… deixem não perguntem mais a ninguém, porque de antemão todos sabemos a resposta.
Com o Kool Klever (pai do hip hop angolano) aprendi, a felicidade do poeta não se encontra na carteira, alias não se trata de prostituir a arte com diz o Duas Caras, NÓS PRECISAMOS ESPAÇO, nós precisamos de fazer aquilo que melhor sabemos fazer e isso não é brincar é ser profissional, temos a missão de afastar os jovens das drogas, temos a missão de passar mensagens cívicas e o nosso apelo ao patrocínio é para poder cumprir com a nossa missão dentro do hip hop. Rendo continência a todas labels que não estejam a passar por esses problemas sendo hip hop ou não, tenho a dizer que não se trata de inveja ou algum outro tipo de sentimento, mas a verdade é que podemos todos em nome da música, em nome da cultura partilhar o mesmo palco, podemos todos ser tratados por filhos e não como enteados, se assim for não estamos em particular a tchovar pra frente a Track Records, estamos cada vez mais a dar qualidade e identidade a música moz.
Por não ser moçambicano ao escrever esta carta alguém me disse, “não mete a colher na pánela do vizinho”, música não tem nacionalidade, viaja pelo mundo sem precisar de visto e sem restrições. Mas no fim a mensagem é a seguinte, tens como ajudar? então dê o sopro de vida a Track Records, VAMOS TCHOVAR ESSA CENA
Dino Cross
Se concordas comigo, escreva o seu nome em baixo e passe a todos os teus amigos, ou melhor envie para quem possa ajudar o hip hop moz a seguir em frente, (empresas, ong, boss, patrões, etc, etc)
01 – Dino Cross

02 – CFkapa

03 – Celia Macamo

Trio FAM rende continência a Azagaia

Os ouvintes da rádio 99FM (Moçambique) elegeram a música “continência” do grupo de rap Trio Fam, (track records) como a melhor música e melhor hip hop do ano. Entre as categorias participaram, Stewart Sukuma, Mc Roger, Dama do Bling, Lizha James, Ta basily, Dj Ardiles, Azagaia, Dj Damost e Mr. Dino, Didacia, Mc Roger, Oliver Style e Zico
Segundo noticiou o blog da cotonete, logo depois deste trio formado por Kaus, Kloro e Cinzel e os seus companheiros de label (Nelson, D-lon, Dj Beat Keepa e Sagaz) terem corrido, euforicamente, ao palco para receber o cheque de 15 mil Meticais e a estatueta referentes ao prémio de “Melhor Musica”, os manos voltaram a ser chamados, minutos depois, para receber mais um cheque de 10. mil Meticiais e uma estatueta como símbolo do prémio de “Melhor Hip Hop”, foi uma verdadeira festa Kloro confessou-nos que para a categoria de melhor hip hop tremiam diante de Azagaia, não tinham esperança de levar este prémio a casa, uma vez que o álbum babalaze de Azagaia foi e até agora é o maior sucesso, mas quanto menos esperavam o prémio novamente foi para a Track Records. Num gesto lindo e surpreendente de reconhecimento, TRIO FAM (e a Track Records) na voz do mano Kloro dedicou o prémio de “Melhor Hip Hop” e ofereceu o respectivo cheque ao companheiro do game, AZAGAIA, do colectivo Cotonete Records.
Realmente, tratou-se de um gesto ímpar no seio do Hip Hop Moçambicano, um gesto de louvar e aplaudir, um gesto em prol da unidade no Hip Hop moçambicano.
Esta é, sem dúvida, uma vitoria da TRIO FAM, uma vitória da TRACK RECORDS, mas acima de tudo, uma vitória do Hip Hop Moz.
Naturalmente alguns angolanos não conhecem a música “continência” da Trio Fam, aconselho a estes a lerem a historia do hip hop moz aqui publicada neste blog (arquivos), para percebem porque esta track tem remix e um TRIMIX

DOWNLOAD…………………………………..
CONTINÊNCIA – ORIGINAL DOWNLOAD
CONTINÊNCIA – REMIX DOWNLOAD
CONTINÊNCIA – TRIMIX DOWNLOAD

VIDEO CLIPES

Para além de músicas, temos recebido alguns vídeos que ao invés de ficarem engavetados, vamos a partir de agora disponibilizar para visualização, e para a primeira tiragens apresentamos alguns dos vídeos que merecem a sua atenção.
 

VIDEOS ANGOLA




VIDEOS MOÇAMBIQUE